Com Saúde e com Afeto

Emocionada e feliz, a fonoaudióloga Luciana Soares de Oliveira disse que o HRVR/Consaúde deveria ser modelo de saúde pública no país.

Regional – De tão surpresa com a qualidade do atendimento, com a competência dos médicos Iran Mendonça do Rego e Amylcar E. Dvilevicius e com o carinho de todos os profissionais que a atenderam, a fonoaudióloga Luciana Soares de Oliveira fez questão de chamar a imprensa para agradecer a todos e para dizer que a humanização no atendimento médico realmente faz a diferença para a recuperação de doenças, quaisquer que sejam elas. Luciana passou por uma delicada cirurgia para retirada de tumor cerebral. E disse que o carinho de todas as pessoas fez desse momento difícil um período suave, cheio de energia.
“Tudo me surpreendeu demais. Todos foram maravilhosos mesmo. Nunca vi um tratamento tão humanitário como esse em toda a minha vida. Todos foram gentis e amigos, desde o porteiro, ao pessoal do refeitório, enfermeiros, médicos e técnicos”, elogiou Luciana. Segundo ela, essa gestão humana mostrou o preparo da equipe: “A saúde é uma área delicada porque trabalha com o sofrimento dos outros, com estresse e morte. Então, é preciso competência”, afirmou.
Antes da cirurgia, realizada quarta 1, Luciana recebeu em seu quarto a visita de um psicólogo, para tranquilizá-la. “Adorei, fiquei tranqüila porque sabia que estava em mãos competentes”, disse. Após a cirurgia, Luciana conta que saiu da UTI com uma sensação imensa de felicidade. “A competência do HRVR/Consaúde mostra que vivemos um fluxo diferente. A qualidade agora está no interior. Aqui está sendo referência. As pessoas vão descobrindo isso”, afirmou.
A irmã de Luciana, Teleni Oetiker , que veio da Suíça para acompanhar a cirurgia, confessa que sentiu medo quando ouviu falar em hospital público e do interior. “Moro na Suíça e a gente vê a TV brasileira falar em caos na saúde em vários Estados. Mas, aqui, achei tudo fantástico, a competência dos médicos, de todos os profissionais. Não tem o luxo dos hospitais da Suíça, mas tem atendimento humanizado e muita competência”, afirmou.
Luciana, que mora em São Paulo, conta que começou a sentir que alguma coisa não ia bem com sua saúde quando passava o Carnaval na casa da irmã, em Iguape. Sentiu dor de cabeça e pressão alta. Os exames indicaram a existência de um tumor na cabeça, que teria que ser retirado. Com uma energia enorme e muito senso de humor, Luciana passeava na sexta 3 pelos corredores do Hospital e brincava com todos. Recebeu alta no final de semana e disse que jamais esquecerá o carinho e competência com que foi tratada.

Craniotomia
Luciana passou por uma Craniotomia para retirada de tumor cerebral frontal direito, cirurgia de quatro horas, que foi considerada um completo sucesso, com ressecção total do tumor e excelente pós–operatório. Os médicos que a atenderam, Iran Mendonça do Rego e Amylcar E. Dvilevicius, afirmaram que o tumor retirado tinha cerca de 10 centímetros de diâmetro. O HRVR/Consaúde é referência regional em Neurocirurgia. Além da competência da equipe médica, conta com equipamentos adequados para proporcionar o melhor atendimento possível aos pacientes.