Consaúde iniciou tratamento dentário para portadores de necessidades especiais

Regional – Será com um churrasco preparado pela família a comemoração pelo tratamento dentário de Cristina Ferreira da Silva, 20 anos, que tem Microencefalia e foi a primeira portadora de necessidades especiais a passar pelo tratamento especializado oferecido pelo Consaúde, em parceria com a DRS-XII e a Secretaria de Saúde do Estado. O churrasco é a comida predileta de Cristina e, claro, será feito assim que ela se recuperar totalmente do tratamento realizado quarta 28 pela manhã no centro Cirúrgico do Hospital São João-Apamir-Consaúde.
A mãe de Cristina, Teresinha Ferreira da Silva, disse que a filha sofria com dores de dente e aguardava havia anos pelo tratamento:”Como ela tem dificuldade de se comunicar, ela pegava minha mão e levava em seu rosto para dizer que estava com dor, ou ficava nervosa e chorava”, lembrou. Teresinha afirmou ter certeza de que sua filha deverá ficar mais feliz, sem as dores que a deixavam nervosa:”Ela vai poder descansar na rede tranqüila, que é o que mais gosta de fazer”. Para Teresinha, o início do tratamento odontológico é fundamental para reduzir a dor de muitos portadores de necessidades especiais que, como Cristina, não tinham a quem e nem onde recorrer.
O cirurgião dentista José Roberto Mikio Sakô, que já atendia há anos os portadores de maneira voluntária, considera a oficialização do serviço um grande avanço para a região, já que o tratamento odontológico para os portadores de necessidades especiais não pode ser feito em consultórios convencionais e, sim, em salas cirúrgicas com equipamentos especiais e acompanhamento do médico anestesista.
Junto com Mikio Sakô, o médico anestesista Darizon compõe a equipe de trabalho, centralizada no Centro Cirúrgico do Hospital São João/Apamir/Consaúde. A expectativa é que sejam realizados dois procedimentos dentários nas quartas-feiras pela manhã. Otimista com a implantação do novo serviço, a superintendente doConsaúde, Maria Cármen Amarante Botelho, explicou que sempre foi preocupação do Consórcio implantar serviços regionais na área da saúde bucal. Segundo ela, a expectativa é reduzir sensivelmente a fila de espera por esse serviço na região.