Conselho de Prefeitos aprova por unanimidade trabalho de Maria Cármen no Consaúde

A cada dois anos os prefeitos avaliam o trabalho desenvolvido pela diretora superintendente. Na quinta-feira, 17 de setembro, em Apiaí, foi à quinta vez que a gestão de Maria Cármen Amarante Botelho foi avaliada e aprovada. Na reunião também foram debatidas várias questões de interesse da saúde pública no Vale do Ribeira. Estavam presentes treze prefeitos e oito enviaram representantes.

A reunião do Comitê Executivo de Planejamento para avaliar a diretora superintendente ocorreu na parte da manhã e foi fechada. O Comitê Técnico é formado por oito prefeitos das cidades eixos, é deliberativo e suas decisões são levadas ao plenário na mesma reunião, que as referenda ou não.

À tarde, na plenária, coube ao presidente, prefeito Décio Ventura colocar na pauta a decisão do Comitê Executivo, que foi referendado por todos os prefeitos. “Podem ter certeza que minha equipe e eu temos trabalhado com grande satisfação e temos obtido grandes conquistas para a região. Obrigada pelo voto de confiança”, disse a superintendente aos prefeitos.

Maria Cármen assumiu em 2001, quando foi criada a Superintendência e, de lá para cá, enfrentou desafios e conduziu ações que garantiram conquistas para a saúde pública no Vale. Para começar, o Consaúde tinha sob seu comando, em 2001, apenas quatro unidades – o Hospital Regional Vale do Ribeira (HRVR), Serviço de Atendimento Médico às Urgências (SAMU), Laboratório Regional e o Complexo Ambulatorial Regional (CAR).

O primeiro grande desafio foi assumir a gestão do HRVR com toda sua complexidade, fazendo com que a Secretaria de Estado da Saúde acreditasse que uma gestão técnica e, em 2002, viabilizasse a renovação do convênio com o Estado. O segundo grande desafio foi o gerenciamento do Hospital São João, cuja história era de uma sucessão de crises. Mais recentemente, assumiu e regionalizou o Hospital Regional de Itanhaém (HRI) e o Ambulatório de Apiaí.

Nos próximos meses o Consórcio terá, ainda, sob sua gestão, os Ambulatórios Médicos de Especialidades (AMEs) de Peruíbe – um pouco menor que o modelo preconizado para o Estado – e o de Pariquera-Açu e , caso entre em acordo com a administração da mantenedora, também administrará o Hospital de Apiaí.
Com a gestão da saúde profissionalizada, aumentou a oferta de especialidades, como o atendimento de oncologia e cardiologia no HRVR; o Centro Regional de Oftalmologia e a Retaguarda, no hospital São João, assim como foi possível a aquisição de novos equipamentos para as unidades.

Com o leque de oferta de serviços de saúde e o número de unidades ampliado, o Consaúde tornou-se referência como modelo de gestão de hospitais públicos, como sempre ressalta o secretário da Saúde, Luiz Roberto Barradas Barata.