HRLB adota fluxograma para detecção rápida de possíveis casos de febre amarela

MÉDICO

Diante da preocupação sobre o aumento do número de casos da febre amarela e como forma de facilitar sua detecção, o CONSAÚDE adotou no Hospital Regional Dr. Leopoldo Bevilacqua (HRLB), de Pariquera-Açu, um fluxograma para pacientes que apresentem os sintomas da doença.
O fluxo visa orientar os profissionais nos casos de pacientes sintomáticos moradores do Vale do Ribeira ou que frequentaram área de risco nos últimos 15 dias. Com ele, a diretoria técnica do HRLB espera agilizar o diagnóstico com a realização dos exames, imediatamente após o atendimento de pacientes com suspeita da febre amarela.
O CONSAÚDE orienta para que a população busque a unidade de saúde mais próxima de casa a fim de vacinar-se. A vacinação é, segundo o Ministério da Saúde, a forma mais efetiva de prevenção contra a febre amarela.

O que é

A febre amarela é uma doença infecciosa febril aguda, causada por um vírus transmitido por mosquitos vetores, e possui dois ciclos de transmissão: silvestre (quando há transmissão em área rural ou de floresta) e urbano. O vírus é transmitido pela picada dos mosquitos transmissores infectados e não há transmissão direta de pessoa a pessoa. A doença tem importância epidemiológica por sua gravidade clínica e potencial de disseminação em áreas urbanas infestadas pelo mosquito Aedes aegypti.
É importante informar que o ciclo da doença atualmente é silvestre, com transmissão por meio de vetor (mosquitos dos gêneros Haemagogus e Sabethes no ambiente silvestre). O último caso de febre amarela urbana foi registrado no Brasil em 1942, e todos os casos confirmados desde então decorrem do ciclo silvestre de transmissão.
A pessoa apresenta os sintomas iniciais 3 a 6 dias após ter sido infectada.

Sintomas

Os sintomas iniciais da febre amarela incluem o início súbito de febre, calafrios, dor de cabeça intensa, dores nas costas, dores no corpo em geral, náuseas e vômitos, fadiga e fraqueza. A maioria das pessoas melhora após estes sintomas iniciais. No entanto, cerca de 15% apresentam um breve período de horas a um dia sem sintomas e, então, desenvolvem uma forma mais grave da doença.
Em casos graves, a pessoa pode desenvolver febre alta, icterícia (coloração amarelada da pele e do branco dos olhos), hemorragia (especialmente a partir do trato gastrointestinal) e, eventualmente, choque e insuficiência de múltiplos órgãos. Cerca de 20% a 50% das pessoas que desenvolvem doença grave podem morrer.
Depois de identificar alguns desses sintomas, procure um médico na unidade de saúde mais próxima e informe sobre qualquer viagem para áreas de risco nos 15 dias anteriores ao início dos sintomas, e se você observou mortandade de macacos próximo aos lugares que você visitou. Informe, ainda, se você tomou a vacina contra a febre amarela, e a data. Somente um médico é capaz de diagnosticar e tratar corretamente a doença.