HRLB receberá Ação do Coração

coracoes_acao

O Hospital Regional Dr. Leopoldo Bevilacqua, de Pariquera-Açu, administrado pelo CONSAÚDE, participará da 5ª edição da Ação do Coração, realizada pela Associação Eduardo Furkini, de Santos. O evento será no dia 24 de junho, no HRLB.

O tema da Campanha Ação do Coração 2016 – Ano V é “Liberdade, Respeito Mútuo e Solidariedade”. A iniciativa será uma grande mobilização dos funcionários do HRLB para confeccionar corações de tecido de várias cores e tamanhos, recheados com uma boa intenção, além de fazerem doações que serão destinadas a instituições de auxílio e caridade.

A partir das 10h, funcionários do CONSAÚDE participarão da confecção dos corações. Às 14h está prevista a distribuição dos corações junto aos pacientes internados. A Ação do Coração terá a presença do organizador Alexandre Camilo e do presidente do CONSAÚDE e prefeito de Pedro de Toledo, Sérgio Miyashiro.

Para o diretor-superintendente do CONSAÚDE, José Antonio Antosczezem, a Ação vai mobilizar os servidores em prol de um bem comum. “É um ato que vai unir nossos funcionários, diretoria do CONSAÚDE, para amenizar as dores dos pacientes. É uma ação singela mas que possui uma finalidade especial”, disse Antosczezem.

 

 

Ação do Coração

 

A Ação do Coração teve início como uma homenagem ao ator santista Eduardo Furkini, em 2012, e é uma celebração de amor, de esperança, de fé e de doação que reúne milhares de pessoas em diversos lugares do Brasil e em outros países. A Ação foi criada e é realizada pela Associação que leva o nome do ator.

A inspiração surgiu quando, em uma viagem a Europa, o ator Eduardo Furkini conheceu a experiência de uma ONG que realizava um trabalho para chamar a atenção para a saúde do coração, promovendo uma grande exposição em praça pública com corações feitos de tecido. Esses corações foram confeccionados em várias cidades nos mais variados tamanhos e cores. O público podia transitar no meio dos corações, escolher um e levá-lo para casa. Motivado no meio dos corações, Eduardo teve a ideia de levar para o Brasil uma ação semelhante, só que aqui sua intenção era a de motivar as pessoas a doar amor. Os corações seriam feitos em tecido, com a única condição de que o coração ao ser confeccionado fosse carregado com o sentimento de uma boa intenção para a pessoa que for pegá-lo e levá-lo para casa, gerando assim uma corrente de amor. A concretização desse desejo não foi possível devido ao seu falecimento.

Um ano depois a Associação realizou o desejo de Eduardo Furkini, que queria realizar essa ação em Santos, com o objetivo de motivar a reflexão sobre o papel de cada indivíduo na sociedade, como agente promotor de boas intenções e gestos fraternos em relação ao próximo.