HRLB/CONSAÚDE foi responsável por 20% das doações de órgãos no estado de São Paulo neste primeiro semestre

De acordo com equipe de transplantes do Incor SP, Hospital Regional, localizado em Pariquera-Açu/SP, tem sido destaque na captação de órgãos

Equipes de São Paulo chegam para captação de órgãos, dia 30 de julho.

Equipes de São Paulo chegam para captação de órgãos, dia 30 de julho.

O ano de 2013 pode ser considerado o ano da mudança de postura da instituição em relação à captação de órgãos e tecidos para doação. A mais recente ocorreu dia 30 de julho, quando córneas, rins, pulmão, coração, fígado e pâncreas foram captados junto a um doador do Vale do Ribeira de 32 anos.

Segundo informação da própria equipe do Incor SP, o Hospital Regional do Vale do Ribeira foi responsável por 20% das doações de órgãos ocorrido no primeiro semestre deste em todo o estado de São Paulo.

Como nos casos anteriores a doação só foi possível graças ao trabalho da Comissão Intrahospitalar de Doação de Órgãos e Tecidos do Hospital Regional Dr. Leopoldo Bevilacqua, sendo esta a terceira captação de órgãos em 2013, um recorde para a unidade e um marco para a região. Tudo após a criação da comissão que é integrada por enfermeiros, psicólogos, médicos e também do esforço de diversos funcionários da unidade.

De acordo com o médico Luis Gustavo Abdala, médico cirurgião toráxico do Instituto do Coração de São Paulo e membro do Grupo de Transplante de Pulmão, que integrou os mais de 20 profissionais envolvidos, o HRLB/CONSAÚDE possui uma equipe técnica multiprofissional de grande qualidade: “A equipe técnica do HRLB é muito boa, (…) nos ofereceram toda a estrutura tanto do ponto de vista de UTI quanto do Centro Cirúrgico viabilizando mais uma vez a doação para um de nossos pacientes.’

Já para o cirurgião cardiovascular da equipe de Transplante Cardíaco do Incor, Ronaldo Onorato, a doação além de ser um ato de amor, tem na qualidade dos serviços médicos uma aliada: “Não é pelo tamanho do hospital ou pela beleza do hospital, mas sim pela capacitação da equipe e engajamento das pessoas que trabalham no HRLB que conseguimos vir de São Paulo até Pariquera-Açu para captarmos o coração e um pulmão de um mesmo doador.”