Maternidade do HRLB/CONSAÚDE, humanização no cuidado aos prematuros

A Maternidade do Hospital Regional Dr. Leopoldo Bevilacqua (HRLB), administrada pelo CONSAÚDE, tem muitas histórias para contar. Uma deles é do bebê Arthur Burlina Cabral Augusto. Ele nasceu no dia 18 de outubro de 2018, às 17h29, de apenas 26 semanas e ficou internado por 80 dias na UTI Neonatal do HRLB.

Artur é filho de Rafhael Augusto do Nascimento e Rayane Burlina Cabral, um jovem casal de Pariquera-Açu. A alta do bebê e de sua mamãe aconteceu no dia 7 de janeiro de 2019, um verdadeiro presente de Ano Novo.

Segundo Rayane, a gravidez se resumiu em “repouso absoluto”. Com apenas 7 semanas de gravidez, a jovem sofreu uma ameaça de aborto espontâneo. No 5º mês, ela teve uma infecção de urina, o que pode ter provocado o rompimento da bolsa amniótica, segundo ela. Arthur nasceu no início do 6º mês de gestação.

“Eu estava muito nervosa, em pânico, é meu primeiro filho e eu tinha acabado de entrar no 6º mês. Ele nasceu com apenas com 940 gramas e 35 centímetros. Tive também que fazer uma cesárea, pois ele não estava na posição correta para nascer”, conta a mãe.

Arthur recebeu todos os cuidados intensivos necessários e se tornou o xodó das enfermeiras e médicos, por ser tão pequenino. Ele também ganhou um polvo de crochê, um dos projetos da Maternidade (o polvo em crochê é usado quando os bebês estão em incubadora, para lembrar o cordão umbilical, sendo uma técnica que ajuda a reduzir o tempo de internação). “Foram 80 dias de internação, entre progressos e retrocessos. Hoje saber que ele é uma criança perfeita, sem sequelas, não tem como não dizer que Deus não tem um propósito na vida dele”, afirma Rayane.

Ao final de 80 dias de internação, o pequeno Arthur alcançou os 2.290kg e 45 centímetros.  Rayane se emociona ao relembrar o tempo em que esteve no Hospital. “Tanto a equipe do Centro Obstétrico quanto a equipe da UTI Neonatal estiveram sempre me ajudando. Eu participei do evento do Dia da Prematuridade, onde aprendi muitas coisas novas. Tinha momentos em que eu achava que tudo ia desmoronar. Graças a Deus tivemos pessoas boas que fizeram de tudo para ele estar bem como ele está hoje e Deus nos protegeu”, finalizou a jovem mamãe, emocionada por poder ir para casa com Arthur nos braços.

Maternidade do HRLB

A coordenadora da UTI Neonatal, enfermeira Vera Colaço, explicou que as técnicas aplicadas no auxílio ao tratamento do bebê prematuro Arthur foram a colostroterapia, Mãe Canguru e o polvo em crochê. Importante ressaltar que a Maternidade do HRLB é credenciada pela Rede Cegonha, estratégia do Ministério da Saúde que visa implementar uma rede de cuidados para assegurar às mulheres o direito ao planejamento reprodutivo e a atenção humanizada à gravidez, ao parto e ao puerpério, bem como assegurar às crianças o direito ao nascimento seguro e ao crescimento e desenvolvimento saudáveis. 

“O Hospital dispõe de tecnologias avançadas, como ventilação mecânica, incubadora aquecida e umidificada, monitor multiparâmetros. O Protocolo usado é de manipulação mínima, porém, livre acesso dos pais à UTI Neonatal. Hoje, ver o Arthur receber alta com tanta saúde está sendo muito gratificante para todos da equipe. É motivante ver que toda dedicação vale a pena. A equipe da Unidade Neonatal está sempre em atualização. Além disso, contamos com equipamentos de tecnologias avançadas e uma equipe multiprofissional altamente qualificada, que garantem a saúde dos nossos pequenos pacientes”, explica a coordenadora da UTI Neonatal.

O diretor-superintendente do CONSAÚDE, José Antonio Antosczezem, ressalta a importância do aprimoramento profissional e da humanização. “Nossos funcionários estão em constante aperfeiçoamento para lidar com as novas tecnologias e para investir em humanização no cuidado aos pacientes. A Maternidade do HRLB é importante referência em alto risco na região e contar com profissionais qualificados nos dá a segurança de um bom atendimento às gestantes, puérperas e bebês”, afirma Antosczezem.