Prefeitos do Alto Vale buscam solução para o hospital de Apiaí

A estadualização e a conseqüente regionalização do atendimento podem ser as saídas para o Hospital Adhemar de Barros Filho, em Apiaí, único para atender os moradores dos seis municípios do Alto Ribeira. A unidade, hoje administrada por uma sociedade beneficente, com apoio financeiro das prefeituras, atravessa séria crise financeira e ameaça fechar as portas.

Na quinta-feira, 3 de setembro, a superintendente doConsaúde , Maria Cármen Amarante Botelho, participou de reunião com quatro dos seis prefeitos do Alto Ribeira e com Antonio Carlos Nasi, diretor-técnico da regional de saúde de Sorocaba (DRS-16), à qual a região está vinculada. Também presente à reunião, o deputado Samuel Moreira lembrou o processo desencadeado em 2007, que culminou com a regionalização do Hospital de Itanhaém. Ele reivindica atenção do governo do Estado para o Hospital de Apiaí, afim de solucionar o problema. Uma das possibilidades, por exemplo, é a transferência da gestão hospitalar para o Consórcio Intermunicipal de Saúde do Vale do Ribeira (Consaúde).

De acordo com o prefeito de Itaóca, Aluízio Ribas, presidente do Consórcio Intermunicipal de Saúde do Alto Ribeira (Cisavar), os seis municípios da região contribuem com cerca de R$ 50 mil mensais para a manutenção do hospital, não suficientes para equilibrar as contas. “Há um saldo negativo de cerca de R$ 100 mil por mês e a dívida acumulada já passa dos R$ 4 milhões”, conta.

Apesar da situação, Aluízio considera imprescindível salvar o Hospital de Apiaí, que registra mais de mil atendimentos/mês em diferentes áreas. “É o único na região. Hoje, temos que encaminhar os casos mais urgentes para Sorocaba, Itapeva, São José do Rio Preto, Botucatu, Bauru ou Jaú. Para se ter uma idéia do problema, de Itaóca a Apiaí são 24 km. Até Sorocaba, são 220 km; para Itapeva 110 km. Por isso, pedimos o auxílio do deputado Samuel Moreira para salvarmos o hospital. A atuação do Samuel tem beneficiado muito nossa região e tenho certeza que, com o apoio dele, encontraremos uma solução para essa questão também”, afirmou Aluízio Ribas. Consaúde tem diagnóstico.

Há muito tempo os prefeitos do Alto Vale reivindicam que o hospital de Apiaí seja gerenciado pelo Consaúde. O Consórcio, inclusive, já tem um diagnóstico da unidade, que precisa de injeção de recursos na ordem de R$ 1,2 milhão mensais para pagar dívidas parceladas e garantir sua manutenção. O faturamento atual do hospital, somando o repasse do Cisavar, chega a R$ 200 mil, portanto, a Secretaria da Saúde teria que repassar R$ 1,050 milhão mensalmente.

A superintendente do Consaúde, Maria Cármen Amarante Botelho, explica que o hospital tem 46 leitos, no entanto, as necessidades são semelhantes a um hospital maior pois necessita de especialistas 24 horas por dia para o funcionamento, por exemplo, da maternidade. Caso contrário, uma gestante em trabalho de parto terá de ser levada para Sorocaba, distante 230 quilômetros da região.

“O que a gente não pode deixar de pensar é que o hospital de Apiaí é muito importante para aquela região”, observa a superintendente do Consaúde. “É difícil conseguir esse recurso, mas os prefeitos e a população contam com a ação do deputado Samuel (Moreira) para conseguirmos resolver o problema”, completa Maria Cármen. “Équacionar esse hospital é um super desafio para o deputado Samuel”, conclui Maria Cármen, lembrando que, sem solução, o hospital corre o risco de fechar brevemente as portas.

O Alto Vale é formado pelos municípios de Apiaí, Ribeira, Itapirapuã Paulista, Itaóca e Barra do Chapéu – que são vinculados à Diretoria Regional de Saúde (DRS) de Sorocaba. Além desses, o hospital de Apiaí atende também Iporanga, que pertence à DRS Registro.

Também participaram da reunião os prefeitos Também participaram da reunião os prefeitos Emilso Couras(Apiaí), Eduardo Vicente Fillietaz (Barra do Chapéu) e Gidioni de Oliveira Macedo (Ribeira) e o deputado estadual Edson Giriboni.