Quimioterapia reduz mortalidade por câncer de mama em até 33%

Rastreamento foi feito com 100 mil mulheres em 123 testes clínicos. Estudo será divulgado na revista médica ‘Lancet’.

Um estudo com dados de 123 testes clínicos e 100 mil mulheres mostrou que o uso de quimioterapia nos últimos 40 anos reduziu a mortalidade por câncer de mama em até 33%. A comparação é feita com pacientes que não usaram nenhum tipo de remédio quimioterápico. Os dados serão divulgados com detalhes em uma edição futura da revista médica “Lancet”.

O trabalho foi feito por um grupo da Universidade de Oxford, no Reino Unido, que analisaram as informações de vários tipos de estudos na década de 1980 e os compararam com as técnicas atuais de quimioterapia.

A redução na mortalidade foi observada em todos os tipos de mulheres, mesmo aquelas com tumores grandes ou nos casos em que os linfonodos na região dos seios também foram afetados por células cancerígenas. O tamanho e a agressividade do tumor são indicativos da chance do problema voltar a aparecer após tratamento e ajudam os médicos a avaliar qual será a probabilidade de cura com os remédios quimioterápicos. Os testes clínicos avaliados pela equipe inglesa não deram informações suficientes para medir a sensibilidade dos pacientes à medicação.

Todos os regimes de quimioterapia apresentam fortes efeitos colaterais nas mulheres e são normalmente usados apenas quando o médico sente que o câncer pode retornar após a extração cirúrgica do tumor.

Para o especialistaem câncer Carlo Palmieri, do Imperial College em Londres, o estudo mostra a necessidade de se evitar o uso de quimioterápicos de forma desnecessária – ou seja, em mulheres que não irão se beneficiar do tratamento e ainda sofrerão com os efeitos colaterais.

Fonte: G1