Saúde alerta sobre risco de intoxicação alimentar nas festas de fim de ano

Alimentos mal condicionados ou manipulados de forma inadequada podem transmitir doenças; exageros devem ser evitados

Uma das principais tradições das festas de Natal e Réveillon é cear com a família e com os amigos. Entretanto, alimentos mal condicionados ou manipulados sem o cuidado necessário podem ser fontes de doenças. Exageros também devem ser evitados, com preferência a alimentos saudáveis. Por isso, a Secretaria de Estado da Saúde decidiu fazer um alerta à população para garantir que as confraternizações nesta época do ano não se transformem em problemas para a saúde da população (veja dicas abaixo).

Evitar preparar uma quantidade muito grande de comida, balancear os tipos de alimentos, assim como redobrar a atenção  durante o  preparo e acondicionamento dos produtos, são cuidados essenciais.

É comum que  famílias ou amigos se organizarem combinando o que cada uma pode preparar para a ceia, pois é uma maneira prática de todos colaborarem. “O problema é que, geralmente, essa combinação pode resultar em uma produção exagerada  de comida e, consequentemente, todos  as pessoas acabam comendo demais, para experimentar de tudo um pouco. Este excesso de calorias, concentrado em uma só refeição, é  armazenado pelo organismo  em forma de gordura localizada, o que poderá acarretar em futuros problemas para quem já apresenta uma predisposição para problemas cardiovasculares, diabetes e hipertensão, além de um intenso mal estar”, explica Renata Alves, nutricionista do hospital estadual Dante Pazzanese.

Uma dica importante, explica Renata, é selecionar os tipos de pratos que serão servidos, dando preferência sempre aos grelhados, seja qual for o tipo de carne escolhida, e evitar alimentos muitos gordurosos, como frituras, por exemplo. Se a opção for por algum tipo de ave deve-se tirar a pele, pois ela contém uma quantidade muito grande de gordura. Saladas também não devem faltar à mesa.

O cuidado na manipulação, preparo e acondicionamento dos alimentos também é fundamental para evitar o risco de uma intoxicação alimentar após as festas. Um dos principais cuidados é com a temperatura dos alimentos, que devem ficar aquecidos a uma temperatura de 70º ou dentro de geladeira. “Em temperatura ambiente, corre-se o risco de desenvolvimento de bactérias ou mesmo de suas toxinas. São elas que provocam a intoxicação, levando a diarreias e vômitos”, explica a médica Maria Bernadete de Paula Eduardo, responsável pela Divisão de Doenças de Transmissão Hídrica e Alimentos da Secretaria.

O ideal, segundo a especialista, é que as refeições permaneçam, no máximo, duas horas fora de refrigeração. “O mesmo vale para as sobras de comida em cima do fogão ou dentro de forno desligado. Devem ser guardadas o mais rápido possível sob refrigeração”, alerta Maria Bernadete.

A médica reforça ainda que qualquer alimento, se preparado sem higiene ou mal conservado, pode causar intoxicações. “Nos últimos dez anos, foram registrados surtos de doenças transmitidas, em especial, por aves mal assadas, molhos, saladas, maioneses e até mesmo a sobremesas”, conta.

Outro cuidado que deve ser redobrado é no que diz respeito a ovo, por se tratar de uma fonte em potencial para a transmissão da Salmonella Enteritidis, bactéria responsável por 50% dos casos de gastroenterites. “Não se deve consumi-lo cru ou mal cozido. Também é preciso evitar pratos à base de claras e gemas cruas”, orienta a especialista.

A organização do freezer ou geladeira também são cuidados importantes lembrados pela médica. “Não se deve enchê-los demais. A quantidade excessiva de alimentos e bebidas impede a circulação do ar refrigerado”.

 Dicas para uma ceia sem perigo durante as festas de Natal e Ano Novo

– Lavar as mãos antes de comer e depois de usar o banheiro.
– Não misturar alimentos de origens diferentes, como carnes e verduras, em cima da pia.
– Não usar a mesma faca durante a preparação de diferentes alimentos.
– Lavar bem frutas e verduras com água potável/tratada e depois higienizá-las com hipoclorito de sódio ou água sanitária (siga as instruções do rótulo ou da bula do produto). Vinagre doméstico não mata os microrganismos. Ajuda apenas a despregar sujeiras.
– Cozinhar, assar ou fritar muito bem os alimentos a serem consumidos.
– Guardar os alimentos já preparados dentro da geladeira.
– Não consumir alimentos de procedência clandestina ou desconhecida.
– Lavar latinhas de refrigerantes ou outras bebidas com água e sabão.

 

Secretaria de Estado da Saúde de São Paulo
Assessoria de Imprensa
(11) 3066-8701 / 8702 / 8707 / 8708 / 8709 / 8712 / 8253 / 8337 /

saudeemacao.blogspot.com
twitter.com/saudespimprensa
facebook.com/spsaude
flicker.com/spmaissaude