Casa da Gestante do HRLB/CONSAÚDE completa 10 anos de funcionamento

A Casa da Gestante, Bebê e Puérpera, uma unidade do Hospital Regional Dr. Leopoldo Bevilacqua (HRLB), de Pariquera–Açu, gerenciado pelo CONSAÚDE, completa 10 anos na quarta-feira, 19 de dezembro. O espaço é uma referência de humanização, destinado ao acolhimento e acompanhamento das mães que necessitam de internação domiciliar para vigilância e proximidade do hospital, mas que não precisem de internação hospitalar e que residam distante do HRLB.

De acordo com a enfermeira responsável pela Casa, Priscila Assis Rangel, em 2018 a Casa da Gestante teve “325 admissões para acolhimento, sendo 252 gestantes, com média de permanência de 3 dias e 72 puérperas, com média de permanência  de 7 dias. Também realizamos 1.660 atendimento de PNAR, o Pré-Natal de Alto Risco”, conta Priscila.

Com capacidade para receber 10 gestantes, a Casa abriga mulheres na fase de latência do trabalho de parto até que se encontrem na fase ativa ou quando há confirmação de que não estão em trabalho de parto, quando então podem ser liberadas para suas casas. A Casa também propicia um atendimento adequado às mulheres até o momento da sua internação definitiva no Hospital e àquelas mães que aguardam a alta de seus bebês.

A Casa da Gestante, Bebê e Puérpera oferece às mulheres de todo o Vale do Ribeira condições de permanência, alimentação e acompanhamento pela equipe de referência, com consultórios, salas de recreação e de TV. O atendimento é multidisciplinar, com médico, enfermeira, técnicos e auxiliares de enfermagem, nutricionista, psicóloga, assistente social, fisioterapeuta e auxiliar de serviços.

A Casa da Gestante, Bebê e Puérpera funciona em um imóvel próximo ao HRLB. As mães que lá ficam “hospedadas”, além de todo o cuidado de enfermagem, participam de atividades lúdico-terapêuticas com oficinas de artes e culinária, trocando experiências e aprendendo. Segundo a enfermeira Priscila, a assistência oferecida é humanizada e tem como base o modelo assistencial implementado pela equipe multiprofissional do Hospital Sofia Feldman, de Belo Horizonte, Minas Gerais. “Nosso intuito é diminuir o impacto da hospitalização, promover interação entre as gestantes e puérperas, estimular a autonomia, humanizar o ambiente, estimular o potencial saudável destas mulheres e promover mais qualidade de vida. 10 anos de funcionamento demonstram o nosso comprometimento e dedicação com o atendimento em saúde a quem mais precisa”, finalizou.