Consaúde firma parceria com Hospital do Coração para melhorar atendimento aos casos de infarto de miocárdio

Consaúde firmou parceria com o Hospital do Coração para implantação do projeto Bridge, que tem o objetivo de detectar e tratar precocemente os casos de Síndromes Coronarianas Agudas (SCA), mais conhecidos como infartos do miocárdio, uma das principais causas de mortes no mundo. O projeto Bridge (ponte, em inglês) atenderá 42 hospitais no país vinculados ao Sistema Único de Saúde (SUS), entre os quais o Hospital Regional Vale do Ribeira (HRVR)/Consaúde, em Pariquera-Açu.
A parceria começou a ser gestada quando o Dr. Antonio Ivam Silva assumiu a coordenação do pronto socorro do HRVR, detectou grande número de pessoas que chegavam infartadas em estágio avançado e, durante um congresso de clínica médica, conheceu o projeto do Hospital do Coração. O HRVR atende, em média, trinta pessoas infartadas.
A superintendente do Consaúde, Maria Cármen Amarante Botelho, explica que infartos do miocárdio representam maior causa de mortalidade e incapacidade no mundo com ônus maior nos países em desenvolvimento, como o Brasil . Ela informa que na primeira fase do projeto Bridge será destacada uma enfermeira para monitorar como estão chegando, no HRVR, as pessoas acometidas de infarto, visando documentar a prática clínica do atendimento. Na segunda fase haverá uma ampla divulgação da SCA com lembretes nas fichas dos pacientes, pulseiras para os pacientes, cartazes, protocolos de bolso para os médicos, cartilhas, treinamentos e teleconferências, entre outros meios para lembrar as equipes médicas sobre o atendimento e a gravidade de cada caso.
“Queria muito que esse treinamento fosse dado para os médicos que atuam nos municípios, mas o pessoal do Hospital do Coração, que é altamente especializado, não tem condições para isso. Teremos, então, multiplicadores no HRVR”, afirma Maria Cármen. “Nós precisamos da colaboração da rede, pois quanto mais precoce for o atendimento, melhor será o resultado. Assim que o médico suspeitar de infarto, ele nem precisa fazer o diagnóstico, deve mandar imediatamente para o HRVR para não perder tempo”, recomenda o médico Antonio Ivam.
Na opinião do diretor técnico do HRVR, Roberto Vilanova, o projeto do Hospital do Coração tem importância fundamental pois infarto do miocárdio é uma doença previsível e quanto mais rápida e eficiente a assistência, menor o risco de lesões. “Sou um bom exemplo disso”, revela Vilanova, que já sofreu o problema. “Temos muita esperança nesse projeto”, assegua ele. “Esse projeto é um avanço enorme mas precisamos ter colaboração das unidades municipais”, reforça Antonio Ivam.
Além de destacar que tudo depende da assistência básica, onde é feito o controle das doenças crônicas como diabetes e pressão arterial, a superintendente do Consaúde afirma que futuramente quer que o HRVR tenha um protocolo para atendimento de Acidentes Vasculares Cerebrais (AVCs) que, segundo seus cálculos, figura entre as principais causas de mortes e lesões graves no Vale do Ribeira.

Equipamento para leitura
de eletrocardiograma
Desde o ano passado o HRVR vem se preparando para ter ainda mais qualidade no atendimento às pessoas que chegam à unidade com problemas cardíacos. Um passo foi o convênio firmado com o Hospital Dante Pazzanese de Cardiologia e foi adquirido um tele ECG, aparelho que possibilita a transmissão de eletrocardiogramas para serem lidos por especialistas no hospital paulistano que, imediatamente, passa o diagnóstico da leitura, evitando erros nesse exame. O mesmo equipamento foi instalado no Hospital Regional de Itanhaém (HRI) e no Hospital São João, em Registro.