HRVR/CONSAÚDE discute diretrizes para atendimentos de Urgência e Emergência na unidade

Representantes de diversos setores do Hospital Regional Vale do Ribeira discutiram maneiras de implantar um protocolo do acolhimento com avaliação e classificação de risco na porta de entrada de urgências e emergências, dia 28 de setembro, em Pariquera-Açu/SP.

Atualmente, a unidade já pratica este tipo de procedimento. Porém, o que se pretende é reorganizar o processo de trabalho, diminuindo a ocorrência de superlotação, informando pacientes e familiares em relação à expectativa de atendimento e tempo de espera – melhorando assim a satisfação do usuário. Além disso, a implantação do protocolo é uma das diretrizes da Política Nacional de Humanização do Ministério da Saúde.

O Hospital Regional absorve pacientes de 26 municípios e também os provenientes da BR-116, devido ao fato de ser a unidade de referência da região, numa projeção de 4 mil pacientes ao mês, dos quais grande parte poderiam ser atendidos em unidades básicas ou serviços de urgência municipais. Desta forma o HRVR daria mais ênfase aos casos de maior complexidade, no sentido de elaborar alternativas para o acolhimento adequado juntamente com a classificação de risco.

De acordo com o enfermeiro Thiago Faustino, responsável pela triagem de pacientes na porta do P. Socorro e Pronto Atendimento, a reorganização do atendimento é fundamental para o bom andamento do serviço. “A necessidade de uma nova organização do fluxo na urgência e emergência é vital em todas as unidades hospitalares do país. Não sendo diverso no HRVR”

Para Faustino, os resultados esperados através da implantação do protocolo são a diminuição da espera, melhoria na triagem e a possibilidade de reduzir mortes evitáveis.

Freddy Paredes, diretor clínico do HRVR/CONSAÚDE, trouxe ao debate a necessidade de esclarecer a todos os profissionais, não só do Pronto Atendimento e Pronto Socorro, a importância de conceitos como urgência (sem risco de morte) e emergência (com risco de morte). Para ele, a uniformização de conceitos é a primeira atitude a ser tomada pelos colaboradores. “Devemos multiplicar estes conceitos de forma correta e homogenia entre profissionais e equipes do Hospital,” explicou.

O próximo passo do corpo técnico da unidade será promover discussões de alinhar-se aos conceitos básico referentes ao protocolo, manter as boas práticas e divulgar, para as equipes e comunidade do Vale do Ribeira, a nova forma de atendimento por gravidade.

Participaram da reunião, pelo HRVR: o Diretor Clínico, Freddy Paredes, o vice-diretor clínico, Ricardo Dezorzi, o assessor médico Dr. Edmur Pastorelo, os enfermeiros Thiago Faustino e Josias Silva e o médico chefe do Pronto Socorro, Wilson Maeno e a chefe da recepção Lidiane Cardoso. Além da Ouvidora do CONSAÚDE, Rosemeire Medeiros.