Integrantes do CONSAÚDE e HRVR são apresentados a diretrizes para atendimentos de Emergência e Urgência

Com o objetivo de apresentar o protocolo de Acolhimento com Classificação de Risco a ser adotado no Hospital Regional Vale do Ribeira (HRVR), integrantes de diversos setores da unidade e também do CONSAÚDE, gestor da unidade, reuniram-se, dia 16 de novembro, no auditório da instituição, em Pariquera-Açu.

O encontro teve por objetivo apresentar os principais tópicos do processo de Acolhimento com Classificação de Risco na porta de entrada de urgências e emergências do HRVR/CONSAÚDE. Diferente da primeira reunião, ocorrida em outubro, a implantação do protocolo e as diversas formas adequadas de fazê-lo foram colocadas em discussão, além das ferramentas que serão utilizadas para divulgar a novidade para a população do Vale do Ribeira e funcionários.

A apresentação foi ministrada pelo enfermeiro Thiago Faustino, responsável pela classificação de risco de pacientes na porta do P. Socorro e Pronto Atendimento da unidade e pelo Diretor Técnico, Dr. Edson Manoel.

A reorganização do atendimento é fundamental para o bom andamento do serviço afirmou Thiago Faustino “A necessidade de uma nova organização do fluxo na urgência e emergência é vital em todas as unidades hospitalares do país. Não sendo diverso no HRVR. Pretendemos à partir desta apresentação   homogeneizar os procedimentos do protocolo para todos os funcionários da instituição, da diretoria à recepção, para todos falarem a mesma língua.”

A iniciativa prevê treinamentos e palestras de conscientização para os diversos colaboradores nos dias 22, 23, 24, 28 e 29 de novembro. O prazo de implantação do modelo da Classificação de Risco será à partir do dia 1º de dezembro.

Atualmente, a unidade já pratica este tipo de procedimento. Porém, o que se pretende é reorganizar o processo de trabalho, diminuindo a ocorrência de superlotação, informando pacientes e familiares em relação à expectativa de atendimento e tempo de espera – melhorando assim a satisfação do usuário. Além disso, a implantação do protocolo é uma das diretrizes da Política Nacional de Humanização do Ministério da Saúde.

O Hospital Regional absorve pacientes de 26 municípios e também os provenientes da BR-116, devido ao fato de ser a unidade de referência da região, recebe uma média mensal de 4 mil pacientes, dos quais grande parte poderia ser atendida em unidades básicas ou serviços de urgência municipais. Desta forma o HRVR daria mais ênfase aos casos de maior complexidade, no sentido de elaborar alternativas para o acolhimento adequado juntamente com a classificação de risco.