População do Vale do Ribeira ganhará serviço de radioterapia

image3

Boas notícias para a saúde da população do Vale do Ribeira e Litoral Sul. O Hospital Regional Dr. Leopoldo Bevilacqua (HRLB), de Pariquera-Açu, administrado pelo Consaúde – Consórcio Intermunicipal de Saúde do Vale do Ribeira e Litoral Sul, integra o Plano de Expansão da Radioterapia no SUS, cujas obras têm previsão de início em 30 de outubro de 2016. A notícia do início dos trabalhos foi dada por representantes do Ministério da Saúde durante encontro em Brasília, no final de outubrono qual estiveram presentes, representando o Consaúdea diretora administrativa Bianca Palfi e o diretor financeiro Marcos Ponsone.

O HRLB está entre 80 soluções que contemplarão a construção de prédio e a aquisição de equipamentos específicos para radioterapia, chamados aceleradores linearesO Ministério da Saúde, por meio da Portaria nº 931 de 10 de maio de 2012, instituiu o Plano de Expansão da Radioterapia no SUS, com o objetivo de articular projetos de ampliação e qualificação de hospitais habilitados em oncologia, em consonância com os vazios assistenciais, as demandas regionais de assistência oncológica e as demandas tecnológicas do SUS. Com a criação do Plano, foram adquiridos aceleradores lineares, um total de 80 soluções, sendo 39 projetos de ampliação e 41 novos projetos de criação de serviço de Radioterapia. Neste último está inserido o HRLB.

Consaúde já definiu a área da construção do prédio que abrigará a radioterapia. A licitação para a elaboração do projeto de arquitetura e engenharia e para a aquisição dos aceleradores lineares já foi concluída. Após esta etapa,deve ser feita a licitação para a construção do novo prédio. A previsão de início dos trabalhos do Serviço de Radioterapia do HRLB é 01 de março de 2018. Ao Consaúde caberá dispor de recursos humanos, garantindo a operacionalização e manutenção dos serviços de radioterapia necessários ao atendimento da população.

“O Serviço de Radioterapia será um ganho para a população, pois vai evitar o deslocamento de quem necessita do tratamento para outros municípios. É garantia de um tratamento mais digno e rápido, pois estará mais próximo da casa dos pacientes”, afirmou Bianca Palfi.

Reforço no tratamento

Nos dias atuais, cerca de 15,7% dos óbitos de causa conhecida no Brasil notificados no Sistema de Informações sobre Mortalidade, decorrem da incidência do câncer. Acompanhando o contínuo crescimento, exposição a fatores de risco e mudança do perfil etário da população, o câncer vem se mantendo desde 2003, como a segunda maior causa de morte no país.

De acordo com o INCA/SAS/MS, os anos de 2014 e 2015 apontam para a ocorrência de aproximadamente 576 mil novos casos, incluindo os casos de câncer de pele não melanoma, reforçando a magnitude do problema do câncer no país. O câncer de pele do tipo não melanoma (182 mil casos novos) será o mais incidente na população brasileira, seguido pelos tumores de próstata (69 mil), mama feminina (57 mil), cólon e reto (33 mil), pulmão (27 mil), estômago (20 mil) e colo do útero (15 mil). Por seremequipamentos de alta complexidade tecnológica, os aceleradores lineares são fundamentais para o tratamento de pacientes com câncer.

image2

image1

image3